Início Notícias Pelo menos 9 mortos após militares israelenses ordenarem evacuação de Khan Younis

Pelo menos 9 mortos após militares israelenses ordenarem evacuação de Khan Younis

6

Um ataque israelense matou pelo menos nove pessoas na cidade de Khan Younis, no sul de Gaza, disseram autoridades de saúde palestinas na terça-feira, um dia após Israel ter ordenado a evacuação de partes da cidade antes de uma provável operação terrestre.

O ataque noturno atingiu uma casa perto do Hospital Europeu, que fica dentro da zona que Israel disse que deveria ser evacuada. Após as ordens iniciais de evacuação, os militares disseram que a instalação em si não estava incluída, e seu diretor disse que a maioria dos pacientes e médicos já foram realocados.

O exército israelense disse que suas forças atingiram áreas em Khan Younis de onde cerca de 20 foguetes foram disparados na segunda-feira. Os alvos incluíam instalações de armazenamento de armas e centros operacionais, acrescentou.

Ele disse que medidas foram tomadas antes dos ataques para garantir que os civis não fossem feridos, permitindo que eles evacuassem da área, referindo-se às ordens de evacuação. Os militares acusaram o Hamas de usar a infraestrutura civil e a população em geral como escudos humanos. O grupo islâmico nega isso.

Um grupo de crianças anda em um caminhão com seus pertences.
Palestinos deslocados são vistos na segunda-feira deixando uma área no leste de Khan Younis depois que o exército israelense emitiu uma nova ordem de evacuação para partes da cidade. (Bashar Taleb/AFP/Getty Images)

Sam Rose, diretor de planejamento da agência das Nações Unidas para refugiados palestinos, conhecida como UNRWA, disse na terça-feira que a agência acredita que cerca de 250.000 pessoas estejam na zona de evacuação de Khan Younis — mais de 10 por cento da população de Gaza de 2,3 milhões — incluindo muitos que fugiram de conflitos anteriores.

Ele diz que outras 50.000 pessoas que vivem fora da zona também podem escolher sair por causa da proximidade com os combates. Os evacuados foram instruídos a buscar refúgio em um amplo acampamento de tendas ao longo da costa que já está superlotado e tem poucos serviços básicos.

O exército israelense diz que dois de seus soldados foram mortos e um terceiro soldado foi gravemente ferido lutando no centro de Gaza. Não forneceu detalhes da batalha em uma declaração emitida na terça-feira.

O grupo militante Jihad Islâmica disse que bombardeou linhas de suprimento israelenses na segunda-feira no Corredor Netzarim, no centro de Gaza. O exército abriu o corredor, que se estende da fronteira até o mar, no início da guerra para separar o norte de Gaza do sul.

Não foi possível confirmar de forma independente os relatos dos campos de batalha de nenhum dos lados.

Os militares dizem que 674 soldados foram mortos desde o início da guerra em Gaza, mais da metade deles no ataque do Hamas em 7 de outubro, que desencadeou os conflitos.

Mais de um milhão de palestinos fugiram da cidade de Rafah, no sul, em maio, depois que Israel lançou operações lá. As forças israelenses retornaram repetidamente a áreas de Gaza onde haviam operado anteriormente. Palestinos e grupos de ajuda dizem que nenhum lugar no território parece seguro.

Israel iniciou sua campanha militar em Gaza em outubro passado, depois que militantes liderados pelo Hamas invadiram o sul de Israel, matando cerca de 1.200 pessoas e sequestrando cerca de 250.

Desde então, as ofensivas terrestres e bombardeios israelenses mataram mais de 37.900 pessoas em Gaza, de acordo com o Ministério da Saúde do território. A guerra cortou em grande parte o fluxo de alimentos, remédios e bens básicos para Gaza, e as pessoas de lá agora dependem totalmente de ajuda. O tribunal superior da ONU concluiu que há um “risco plausível de genocídio” em Gaza — uma acusação que Israel nega veementemente.

ASSISTA | Israel está perto de ‘eliminar’ o Hamas, diz o primeiro-ministro Netanyahu:

Israel está perto de “eliminar” o Hamas, diz o primeiro-ministro Netanyahu

Falando aos membros do Colégio de Segurança Nacional, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu disse acreditar que o Hamas está perto de ser eliminado em Gaza, e Israel continua comprometido em erradicar o que resta de suas forças.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse na segunda-feira que Israel estava se aproximando de sua meta de destruir as capacidades militares do Hamas, que governa Gaza desde 2007. Operações menos intensas continuariam, disse ele.

“Estamos avançando para o fim da fase de eliminação do exército terrorista do Hamas, e haverá uma continuação para atacar seus remanescentes”, disse Netanyahu.

Fuente