Início Notícias O que sabemos até agora sobre o acidente de helicóptero que matou...

O que sabemos até agora sobre o acidente de helicóptero que matou o presidente do Irão

27

A queda do helicóptero que matou o presidente e o ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão provocou ondas de choque em toda a região.

A mídia estatal iraniana disse na segunda-feira que o presidente Ebrahim Raisi, o ministro das Relações Exteriores do país, Hossein Amirabdollahian, e outros foram encontrados mortos após uma busca de horas em uma região montanhosa e nevoenta do noroeste do país. A TV estatal não deu nenhuma causa imediata para o acidente.

Aqui está o que sabemos até agora.

Quem estava a bordo e para onde estavam indo?

O helicóptero transportava no domingo Raisi, Amirabdollahian, o governador da província iraniana do Azerbaijão Oriental e outras autoridades, de acordo com a agência de notícias estatal IRNA.

Raisi regressava depois de viajar para a fronteira do Irão com o Azerbaijão para inaugurar uma barragem com o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev, quando o acidente ocorreu na floresta de Dizmar, na província do Azerbaijão Oriental.

A IRNA disse que o acidente matou oito pessoas, incluindo três tripulantes a bordo do helicóptero Bell, que o Irã comprou no início dos anos 2000.

Como foi a operação de busca?

Autoridades iranianas disseram que o terreno montanhoso e arborizado e a forte neblina impediram as operações de busca e resgate, que continuaram durante a noite.

O presidente da Sociedade do Crescente Vermelho Iraniano, Pir-Hossein Koulivand, disse no domingo à noite que 40 equipes de busca estavam no local, apesar das “condições climáticas desafiadoras”.

Membros da equipe de resgate trabalham no local da queda de um helicóptero.
Membros da equipe de resgate trabalham no local do acidente em uma região montanhosa envolta em neblina no noroeste do Irã, na segunda-feira. (Azin Haghighi/Agência de Notícias MOJ/AFP/Getty Images)

Devido ao mau tempo, foi “impossível realizar buscas aéreas” através de drones, disse Koulivand, segundo a IRNA.

Só na manhã de segunda-feira as autoridades anunciaram que o helicóptero havia sido encontrado e todos os seus ocupantes estavam mortos.

Como o local do acidente foi encontrado?

Na manhã de segunda-feira, as autoridades turcas divulgaram o que descreveram como imagens de drones mostrando o que parecia ser um incêndio no deserto, que “suspeitaram ser destroços de um helicóptero”. As coordenadas listadas na filmagem colocaram o incêndio a cerca de 20 quilômetros ao sul da fronteira entre o Azerbaijão e o Irã, na encosta de uma montanha íngreme.

Equipes de resgate caminham por uma região montanhosa em busca de destroços de helicóptero.
Membros da equipe de resgate vasculham uma área próxima ao local do acidente na segunda-feira. (Azin Haghighi/Agência de Notícias MOJ/AFP/Getty Images)

Imagens divulgadas pela IRNA mostraram o que a agência descreveu como o local do acidente, através de um vale íngreme em uma cordilheira. Soldados falando na língua local azeri disseram: “Aí está, nós encontramos”. Pouco depois disso, a TV estatal disse em um texto rolante na tela: “Não há sinal de vida das pessoas a bordo”.

Como a morte de Raisi impactará o Irã?

Raisi era visto como um protegido do líder supremo do Irão, o aiatolá Ali Khamenei, e um potencial sucessor pela sua posição dentro da teocracia xiita do país.

Segundo a constituição iraniana, se um presidente morrer, o primeiro vice-presidente do país – neste caso, Mohammad Mokhber – tornar-se-ia presidente. Khamenei assegurou publicamente aos iranianos que “não haveria interrupção nas operações do país” como resultado do acidente.

Khamenei nomeou Mokhber como presidente interino, de acordo com a Constituição, que diz que uma nova eleição presidencial deve ser convocada dentro de 50 dias.

ASSISTA | ‘Reação mista’ à morte de Raisi, diz analista:

‘Reação mista’ à morte do presidente iraniano Ebrahim Raisi, diz analista

A morte do presidente iraniano, Ebrahim Raisi, num acidente de helicóptero no domingo, foi recebida com tristeza e celebração. Raisi, que chegou ao poder em 2021, era um líder impopular que supervisionou a repressão aos protestos anti-regime que criaram uma “profunda divisão entre o Estado e a sociedade”, diz Ali Vaez, diretor do Projeto Irã na Crise Internacional Grupo.

Qual tem sido a reação internacional?

Após a notícia da operação de busca, países como Rússia, Iraque e Catar fizeram declarações preocupadas com o destino de Raisi e se ofereceram para ajudar na busca.

O presidente do Azerbaijão, Aliyev, ofereceu todo o apoio necessário. As relações entre os dois países têm sido frias devido às relações diplomáticas do Azerbaijão com Israel, o arquiinimigo regional do Irão.

OUÇA | Por que alguns iranianos estão comemorando a morte de Raisi:

Como acontece6:55Por que alguns iranianos estão comemorando a morte do presidente Ebrahim Raisi

Arash Azizi, jornalista e historiador do Médio Oriente, diz que alguns iranianos estão a celebrar a morte do Presidente Ebrahim Raisi num acidente de helicóptero devido ao seu papel na sangrenta repressão do regime à dissidência. Outros, diz Azizi, estão a encolher os ombros porque sentem que o verdadeiro poder reside no líder supremo do Irão. Azizi, autor de What Iranians Want, conversou com o apresentador convidado do As It Happens, Peter Armstrong, sobre o que isso significa para o futuro do país.

A Arábia Saudita, tradicionalmente rival do Irão, embora os dois países tenham recentemente feito uma reaproximação, disse que apoia “o Irão nestas circunstâncias difíceis”.

Não houve reação oficial imediata de Israel. No mês passado, após um ataque israelita a um edifício consular iraniano em Damasco que matou dois generais iranianos, Teerão lançou centenas de mísseis e drones contra Israel. A maioria deles foi abatida e as tensões aparentemente diminuíram.

Dois homens apertam as mãos enquanto outros assistem.
Ebrahim Raisi, apertando a mão à esquerda, visita o local de um projeto de ponte rodoviária e ferroviária sobre o rio Aras, após uma cerimônia com o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev (não visto na foto), após a qual o helicóptero de Raisi caiu no sábado perto da cidade de Jolfa, na fronteira com o Azerbaijão. (Gabinete do Presidente da República Islâmica do Irã/Getty Images)

O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Matthew Miller, ofereceu condolências oficiais aos EUA após o acidente, apesar de uma avaliação contundente do histórico de Raisi.

Miller disse que Raisi “tem sangue nas mãos” pelo seu papel na supressão da dissidência no Irão e descreveu o antigo clérigo como um “participante brutal na repressão do povo iraniano durante quase quatro décadas”.

“Isto representa um golpe estratégico monumental e irreparável para o líder supremo dos mulás, Ali Khamenei, e para todo o regime, famoso pelas suas execuções e massacres”, disse Maryam Rajavi, presidente eleita de um grupo de oposição com sede em Paris, o Conselho Nacional de Resistência dos Irã, disse em um comunicado.

Um funcionário do governo à esquerda caminha com uma guarda militar.
O primeiro vice-presidente do Irã, Mohammad Mokhber, à esquerda, participa de uma cerimônia de boas-vindas ao sultão de Omã, em Teerã, em 28 de maio de 2023. Mokhber foi nomeado presidente interino do Irã. (Majid Asgaripour/Agência de Notícias da Ásia Ocidental/Reuters)

Um porta-voz do ministro das Relações Exteriores da China emitiu um comunicado dizendo que o presidente chinês, Xi Jinping, “já enviou uma mensagem direta ao primeiro vice-presidente do Irã, Mohammad Mokhber”.

Xi disse que o presidente Raisi fez contribuições importantes para a segurança e estabilidade do Irão e para “desenvolver a parceria estratégica abrangente entre a China e o Irão”, afirmou o comunicado.

Fuente