No Barça, Xavi é substituído pelo irmão. Eles não o chamavam de “Klopp” à toa. nasshliski

O treinador do Barcelona, ​​Xavi, continua a colecionar cartões amarelos e vermelhos, que ele, como treinador, parece ter mais do que em toda a sua carreira de jogador. Após encontro com o Atlético, em Madrid, o treinador de 44 anos foi suspenso por dois jogos. Xavi retornará ao banco de reservas e só poderá comandar o time na partida contra o Real Madrid, no dia 21 de abril. Enquanto isso, até o Clássico, ele será substituído por seu irmão, Oscar Hernández, de quem muitos provavelmente nunca ouviram falar. Falamos sobre o segundo treinador do Barça e sua relação com Xavi.

Liderado por Óscar Hernández, Barcelona vence Las Palmas

O Barça ainda estava em maioria aos 24 minutos. E ainda sofri com o camponês médio.

Xavi e Óscar são filhos do ex-jogador e treinador de futebol Joaquim Hernández, que já jogou na La Liga pelo Sabadell (em meados dos anos 60) e dirigiu times desconhecidos fora da Espanha de 1989 a 1999. Ambos os filhos nasceram em Terraza, uma cidade da província de Barcelona. Óscar nasceu em setembro de 1976. Javi – em janeiro de 1980, é o mais novo dos irmãos.

Se Xavi superou em muito o pai como jogador de futebol, Óscar nem sequer atingiu o seu nível. Seu irmão mais velho fez sua estreia profissional em 1995 como parte do Terrace. Xavi já havia saído de sua cidade natal na época e treinava na academia do Barcelona. Alguns anos depois, Óscar mudou-se para o Tárrega e uma temporada depois tornou-se jogador do Balaguer. Mas ficou lá apenas um ano, assinando contrato com Mataró na década de 2000.

As atuações com o Mataró na terceira divisão do Campeonato Espanhol foram o auge da carreira de Oscar. Permaneceu neste clube por quatro temporadas completas, tornou-se capitão, disputou 133 partidas como meio-campista e marcou oito gols. Ao contrário de Xavi, que conquistou medalhas, seu irmão mais velho não conquistou nenhum troféu. Jogou as últimas três temporadas pela equipe do Gavà e aos 30 anos, diante de uma lesão no ligamento cruzado, entendeu que era hora de parar de sofrer em campo. Em julho de 2007, quando Xavi já tinha conquistado a vitória na Liga dos Campeões, Óscar decidiu pendurar as chuteiras.

O que Oscar poderia lembrar de sua carreira? Por exemplo, o facto de em quase todos os jogos com o clube agrícola de Barcelona Mataró ter recebido cartão amarelo. E também a vitória fora de casa sobre as categorias de base catalãs na temporada 2000/2001 por 2 a 0, quando entraram em campo Víctor Valdez, Fernando Navarro, Thiago Motta, Mikel Arteta e Aruna Babangida. Talvez Oscar até tenha deixado Javi orgulhoso de seu irmão mais velho como jogador naquele dia.

De 2007 a 2015, houve uma lacuna na biografia futebolística de Óscar Hernández. Ele estava envolvido no negócio imobiliário da família. Ao mesmo tempo, começou a estudar para ser treinador, trabalhou com crianças mais novas na Terrace School e, muito possivelmente, teria permanecido um especialista local se não tivesse um irmão estrela. Xavi ajudou Oscar a desenvolver sua carreira como treinador.

Em 2015, Xavi trocou o Barcelona pelo Al-Sadd. Ele passou os quatro anos seguintes jogando no Catar e, de julho de 2019 a novembro de 2021, liderou esta equipe como treinador novato. Até que voltou como titular do Barça.

Óscar Hernández

Foto: Ángel Martínez/Getty Images

Foi apenas em 2015, depois de Xavi, que o seu irmão mais velho se mudou para Doha. Os catarianos criaram a maior e mais rica academia esportiva do mundo, a Aspire, e Oscar foi nomeado diretor. Ele treinou jovens jogadores de futebol.

Em 2019, quando Xavi assumiu o comando do Al-Sadd, Óscar tornou-se o seu braço direito na comissão técnica. E isto continua até hoje, já em Barcelona. O irmão mais velho tem, portanto, o mesmo número de troféus de treinador que o mais novo: sete no Qatar e dois em Espanha, incluindo um título de campeonato em cada país.

Óscar na sede de Xavi não é apenas um parente na bancada. Participa ativamente nos processos formativos e criativos. Talvez ele ainda tenha mais contato com os jogadores do Barcelona (tem conversas individuais, faz análises de vídeo de suas ações), enquanto Xavi mantém um pouco de distância. Como aponta um dos materiais da Relevo, os jogadores confiam em Óscar. Seu irmão mais velho não é menos impulsivo. Óscar foi expulso duas vezes em partidas da seleção catalã, inclusive por gestos provocativos ao banco inimigo. Em ambas as ocasiões o juiz foi Gil Manzano.

O zagueiro do Barcelona teve um conflito com a torcida do time

Histórias

Íñigo Martínez discutiu com jovens torcedores perto da base do clube. Vídeo

No verão passado, Óscar substituiu Xavi pela primeira vez num jogo contra o Inter Miami, nos Estados Unidos, uma vez que o mais jovem não conseguiu obter visto americano. Ele então venceu o Barcelona por 6-0. Em resposta aos parabéns pelo sucesso com a equipa, Oscar disse: “Espero que este seja o meu primeiro e último jogo como treinador principal”.

Mas descobriu-se que não foi o último. Seu irmão mais velho, apelidado de brincadeira de “Oscar Klopp” no Barcelona por causa de sua semelhança física e emocional com o técnico do Liverpool, continua substituindo Xavi. E até agora o Barça venceu todos os jogos com Óscar na ala: Valência, Cádiz, Villarreal, Maiorca e Las Palmas.

No livro “Minha vida é o Barça”, Xavi falou sobre seu irmão e lembrou como, quando criança, Óscar lhe deu o que havia de mais precioso:

“Meu irmão Oscar me deu sua coisa favorita e disse:“ Bem-vindo”. Essa coisa era o cobertor dele. “Eu dormi com ele, comi com ele e brinquei com ele.”

Leave a Comment