David Broncano e La Resistencia não assinam pela RTVE nasshliski

David Broncano não tem luz verde para assinar pela RTVE. O Conselho de Administração da RTVE deveria decidir hoje se contrataria o apresentador de ‘La Resistencia’ por duas temporadas e uma quantia milionária. A última proposta em cima da mesa, antes de Concepción Cascajosa se tornar presidente interina, era de dois anos e 14 milhões para cada um deles. A votação ainda não dá luz verde.

A contratação do apresentador de ‘La Resistencia’ no Movistar+ pelo ente público é uma dor de cabeça pelos termos em que o referido contrato será assinado. Dois anos por 14 milhões cada tratava-se da contratação que seria decidida na reunião do Conselho de 26 de março, mas as divergências sobre a gestão da assinatura custaram o emprego a dois dos adversários – o Diretor de Conteúdo, José Pablo López , e a ex-presidente Elena Sánchez -, e a decisão sobre Broncano foi suspensa.

A proposta consistia em contratar um programa semelhante a ‘La Resistencia’ por dois anos, embora o contrato pudesse ser cancelado no final do primeiro ano se a quota de ecrã não atingisse 7,5%. Já não era um contrato de três anos, como propôs a Direção de Conteúdos numa primeira proposta em Conselho anterior, a 11 de março: três temporadas, a um ritmo de cerca de 14 milhões anuais também, pelo que o total rondava os 42 milhões. Essa proposta também não foi votada porque a maioria dos vereadores, inclusive a própria presidente, não concordou com ela.

Este é o novo contrato de Broncano na TVE

Assim, o novo contrato que será oferecido para produzir ‘La Resistencia’ seria de 14 milhões de euros para cada uma das duas temporadas acordadas – anteriormente eram 3 – e isso seria garantido por Broncano, que continuaria a ser o apresentador. Cada programa ascenderia assim a 90.000 euros. O interesse em contratá-lo é ofuscar ‘El Hormiguero’ de Pablo Motos na Antena 3, imbatível em seu horário. La Resistencia, como anunciou a ABC esta semana, deve atingir 7,5% de share, média de um horário em que o horário do Telediario 2 seria reduzido. Caso contrário, passaria a fazer parte da programação noturna. tarde da noite.

Esta é a votação

Esta quinta-feira o Conselho de Administração da RTVE deve decidir o sim definitivo ao projeto. Nessa altura, segundo fontes do Conselho de Administração, Elena Sánchez, conselheira por proposta do PSOE, e José Manuel Martín Medem (eleito na altura por proposta do Unidas Podemos, mas ligado ao PCE, hoje integrado no Sumar) defendeu que o contrato teria a duração de um ano, o que é típico deste tipo de espaço.

Esta quinta-feira, se Concepción Cascajosa decidir não modificar a última proposta que existia antes de ser eleita presidente interina e que não foi votada, espera-se que os três vereadores do PP sejam contra, e um novo malabarismo terá que ser feito. feito para que eles o apoiem. . Cinco vereadores, a cota necessária para avançar.

Atualmente são nove vereadores (ainda não foi nomeado um décimo para substituir o ex-presidente José Manuel Perez Tornero, que não foi contemplado). Os três vereadores eleitos pelo PP são Consuelo Aparicio, Jenaro Castro e Carmen Sastre; Os três do PSOE são Concepcion Cascajosa, Elena Sanchez e Ramon Colom; por United Podemos, Roberto Lakidain e Jose Manuel Medem, e proposto pelo PNV Juan Jose Baños.

Cinco desses nove vereadores expiraram o mandato em março passado (os três do PP, um do PSOE -Ramón Colom- e o escolhido pelo PNV), pois foram desenvolvidos por sorteio em 2021.

Leave a Comment