Início Notícias ‘Marathon Mom’ ignorou seus filhos? Por que um vídeo viral está...

‘Marathon Mom’ ignorou seus filhos? Por que um vídeo viral está enfurecendo corredores e mães

11

A personal trainer Luciana Grandi Lourenção estava prestes a vencer a Meia Maratona de Presidente Prudente, no Brasil.

Mas antes de cruzar a linha de chegada da corrida de 21 quilômetros, ela teve que se esquivar de alguns perigos na estrada: seus filhos.

Em um vídeo de 5 de maio que se tornou viral desde que foi compartilhado no TikTok, Lourenção pode ser vista descendo uma colina correndo, levantando triunfantemente o punho no ar enquanto estava prestes a cruzar a linha de chegada com o tempo de 1:41:01, o que lhe renderia o primeiro lugar entre as corredoras.

E então, um homem, posteriormente confirmado como seu marido, empurra as filhas pequenas de Lourenção para o curso. Eles correm em direção à mãe, mas Lourenção vira para a direita e atravessa a linha de chegada sem olhar para trás. Atrás dela, o homem dá de ombros.

O vídeo ganhou as manchetes em todo o mundo – alguns culpando o pai por “sabotar” o momento da esposa, outros dizendo que Lourenção ignorou os filhos – e inflamou as redes sociais, onde o vídeo original tem mais de 16 milhões de visualizações e continua aumentando.

Os comentários são igualmente acalorados, com muitas pessoas dizendo que o vídeo realmente representa como os homens não levam a sério os compromissos das mulheres fora da família. Lourenção esclareceu mais tarde que ela e o marido tinham inicialmente planeado que os filhos cruzassem a linha de chegada com ela, mas ela mudou de ideias quando percebeu que poderia vencer se mantivesse o ritmo.

O vídeo, para muitos, simboliza o tipo de barreiras que as mães enfrentam.

“Ela tem a opção de pegá-los e não vencer a maratona ou correr ao redor deles e vencer”, postou uma mulher em uma resposta em vídeo.

“A mãe corredora ignorou as crianças OU o pai sabota a mãe da maratona usando crianças?” escreveu um treinador de corrida no Instagram.

Uma postagem no Instagram mostra uma mulher cruzando a linha de chegada de uma corrida
Nesta captura de tela de um vídeo postado em sua conta do Instagram, o trailer pessoal brasileiro Luciana Grandi Lourenção cruza a linha de chegada na Meia Maratona de Presidente Prudente, no Brasil, em 5 de maio. (Instagram/lu_grandi)

Esporte duplo padrão

O vídeo é decepcionante, disse Dawn Trussell, professora associada de gestão esportiva na Universidade Brock, que estuda maternidade e esportes. Na sua opinião, representa um problema maior do que o que parece ser o timing “problemático” de um pai.

“As mães que são atletas muitas vezes têm de contrariar as expectativas irrealistas e abnegadas da maternidade”, disse Trussell à CBC News.

“As expectativas da maternidade podem incluir dedicar todo o seu tempo, energia e recursos para ser considerada uma ‘boa mãe’ enquanto sacrifica suas identidades atléticas”.

ASSISTA | Sobre a carga da mãe:

A dura realidade da ‘carga materna’: o esgotamento pandêmico leva a mudanças de emprego

A carga de trabalho diária – remunerada e não remunerada – enfrentada por algumas mães resultou em esgotamento e mudanças forçadas de emprego.

Estudos demonstraram que a discriminação da maternidade no desporto é real. Por exemplo, uma pesquisa recente publicada na revista Communication & Sport analisou a representação na mídia de dois atletas de elite canadenses (a boxeadora Mandy Bujold e a jogadora de basquete Kim Gaucher), descobrindo que eles foram discriminados com base em seu status de maternidade durante os preparativos para a Olimpíada de Tóquio de 2020. Olimpíadas. Os pesquisadores chamaram isso de “penalidade pela maternidade”.

Em 2022, um estudo da Universidade de Alberta sugeriu que atletas de elite que se tornam mães precisam de melhor apoio das entidades desportivas para continuarem as suas carreiras após o nascimento. A professora Margie Davenport, da faculdade de cinesiologia, esporte e recreação, explicou que, para atletas femininas, a janela de desempenho máximo e a janela de fertilidade se sobrepõem.

“Os atletas masculinos não enfrentam os mesmos problemas. O nível de estresse é inimaginável”, disse Davenport em comunicado à imprensa na época.

Entretanto, a investigação canadiana também demonstrou que tornar-se pai ou mãe está associado à diminuição da participação em atividades físicas – especialmente para as mães. Um relatório de 2022 do Centro de Recursos de Informação Esportiva do Canadá, uma organização de defesa do esporte que faz parceria com o governo federal, explicou que até 75 por cento das mães enfrentam barreiras únicas à atividade física, que vão desde culpa, pressão e estresse até falta de tempo. , apoio ou cuidado infantil.

Um grupo de pessoas corre pela rua em trajes de corrida
Os corredores percorrem a Elgin Street no início da meia maratona do Ottawa Race Weekend em Ottawa, no domingo, 26 de maio de 2024. (Justin Tang/A Imprensa Canadense)

Mesmo assim, muitas mães têm relacionamentos intensos com a corrida. A atividade oferece autonomia emocional e física – algo muitas vezes escasso para as mães. E permite uma identidade fora da paternidade: “corredor”.

“Foi um lançamento. E foi um ‘tempo para mim’ precioso”, escreveu a corredora e escritora escocesa Keri Wallace no ano passado na Ultra Racer Magazine.

No artigo, ela explica por que voltou a correr “muito cedo” depois de se tornar mãe, sem esperar para desenvolver seu núcleo, e simplesmente disparou “como um foguete porta afora”.

“Correr é o melhor antídoto para as lutas da maternidade.”

‘Tive que terminar a corrida’

Num vídeo publicado no seu Instagram no domingo, Lourenção respondeu à polémica, dizendo que queria esclarecer as coisas.

No vídeo, filmado em português e traduzido pela CBC News, Lourenção explica que não treinou bem e não esperava vencer. Na véspera da corrida, ela e o marido concordaram que ela “cruzaria a linha de chegada com as meninas sem saber se venceria ou não”.

Mas ela se saiu melhor do que esperava. E na hora de terminar a corrida, ela disse: “Vi as meninas ao lado, mas tinha que terminar a corrida e vencer. Depois disso, abracei minhas filhas”.

O vídeo não mostrava aquele momento, nem aquele em que ela levou as meninas ao pódio ao receber a medalha.

Ela lamentou “não ter tornado minha chegada tão bonita quanto havíamos planejado”, mas acrescentou que sabe que terá outras oportunidades.

Seu marido, Pedro Lourenção, disse a um site de notícias brasileiro que não tinha ideia de que o segundo corredor estava tão perto de sua esposa.

“Não fiz nada para ser malicioso, nada para atrapalhar”, disse ele, acrescentando que está evitando ler os comentários nas redes sociais.

Enquanto isso, o termo de pesquisa popular no TikTok para o vídeo original de Lourenção é “A mãe da maratona ignora os filhos”, e várias pessoas comentaram negativamente sobre o fato de ela passar por eles para vencer.

Alguns também se perguntaram quem é o homem que ela viu abraçando depois de cruzar a linha de chegada, brincando que escolheu um novo marido.

Lourenção também esclareceu isso no Instagram, lembrando que é irmão dela e também atleta.

“Somos uma família ativa e continuaremos a ser.”

ASSISTA | O que motiva os corredores?

O que motiva os corredores na maratona de Calgary?

A Maratona de Calgary celebrou o seu 60º aniversário com a sua primeira corrida com lotação esgotada desde 2014. Embora milhares de pessoas estivessem todas definidas no mesmo objetivo – a linha de chegada – as motivações que as motivam variam entre os participantes.

Fuente