Início Melhores histórias Israel apreende câmera da AP, citando uso de suas imagens pela Al...

Israel apreende câmera da AP, citando uso de suas imagens pela Al Jazeera

12

O Ministério das Comunicações de Israel confiscou equipamentos de câmera da Associated Press na terça-feira, alegando que a agência havia violado uma nova lei de transmissão ao fornecer imagens do norte de Gaza à Al Jazeera.

A apreensão representou uma escalada nos esforços de Israel para punir a Al Jazeera, a emissora pan-árabe que o governo israelense votou para encerrar há duas semanas. Levantou questões sobre até que ponto as autoridades israelitas iriam para cortar o canal financiado pelo Qatar, que forneceu ampla cobertura da ofensiva militar de Israel em Gaza.

Lauren Easton, vice-presidente de comunicações corporativas da AP, denunciou a ação do governo israelense, chamando-a de “um uso abusivo” de uma nova lei que fornece às autoridades ferramentas para reprimir organizações de mídia estrangeiras.

Num comunicado, o Ministério das Comunicações disse que os inspetores foram a um local no sul de Israel usado pela AP para transmitir imagens ao vivo da fronteira com o norte de Gaza, que fica a vários quilómetros de distância. O ministério alegou que o feed estava sendo transportado ilegalmente pela Al Jazeera.

A AP informou que as autoridades israelenses transmitiram uma ordem verbal na semana passada para encerrar a transmissão ao vivo, mas esta não cumpriu.

Como um serviço de notícias proeminente, a AP disponibiliza seu conteúdo para assinantes em todo o mundo.

Easton disse que as autoridades israelenses deveriam devolver o equipamento da AP para que pudesse restaurar a transmissão ao vivo e “continuar a fornecer este importante jornalismo visual a milhares de meios de comunicação em todo o mundo”.

Em Israel, a cobertura em língua árabe da Al Jazeera tem sido frequentemente criticada por ampliar a perspectiva do Hamas.

A Al Jazeera disse que a decisão de Israel de encerrar as suas operações no país violou “o direito básico ao acesso à informação”.

Fuente