Início Melhores histórias Dezenas morrem enquanto o calor intenso atinge Meca durante a peregrinação do...

Dezenas morrem enquanto o calor intenso atinge Meca durante a peregrinação do Hajj

9

Dezenas de pessoas morreram em meio a temperaturas escaldantes durante a peregrinação anual do hajj à cidade sagrada de Meca, na Arábia Saudita, de acordo com relatos da mídia oficial de todo o Oriente Médio e África.

Com as previsões a indicar que as temperaturas ultrapassariam os 113 graus Fahrenheit, ou 45 graus Celsius, na terça-feira, as autoridades sauditas emitiram avisos aos peregrinos instando-os a manterem-se hidratados, minimizarem as atividades ao ar livre e carregarem guarda-chuvas para bloquear a luz solar direta.

Embora a Arábia Saudita não tenha relatado mortes, notícias de vários países cujos fiéis compareceram ao hajj sugeriram que o calor se revelou mortal.

No domingo, a agência de notícias oficial da Jordânia disse que 14 peregrinos morreram devido à exposição ao sol e ao calor extremos. Na quarta-feira, a agência informou que foram emitidas autorizações de sepultamento para 41 peregrinos jordanianos em Meca, mas não forneceu detalhes sobre as causas da morte.

O Ministério das Relações Exteriores da Tunísia disse que pelo menos 35 tunisianos morreram, informou a agência estatal Tunis Afrique Presse na terça-feira, observando o “aumento acentuado das temperaturas” e o “sol escaldante” que acompanharam o hajj.

Três peregrinos do Senegal também morreram, segundo comunicado do Ministério das Relações Exteriores do país, sem citar a causa da morte. E o Ministério dos Negócios Estrangeiros do Egipto disse que o pessoal consular na Arábia Saudita estava a trabalhar “24 horas por dia” para ajudar a facilitar os enterros e buscas de peregrinos egípcios desaparecidos, sem fornecer um número.

Os ministérios sauditas não responderam imediatamente às perguntas sobre os relatos de mortes.

Muçulmanos de todo o mundo viajam para Meca todos os anos para realizar a peregrinação de cinco dias, que termina na quarta-feira. O hajj é um dos cinco pilares do Islão – e todos os muçulmanos que sejam financeiramente e fisicamente capazes devem realizar o ritual pelo menos uma vez na vida.

Mais de 1,8 milhões de pessoas fizeram a peregrinação este ano, de acordo com a Autoridade Geral Saudita de Estatísticas – com 1,6 milhões vindos do exterior.

Muitos peregrinos, muitas vezes mais velhos, também passaram por estresse térmico nos últimos anos, com dezenas de pessoas morrendo por causa do calor.

Na terça-feira, as autoridades sauditas classificaram a temporada de hajj deste ano como um “sucesso”, com a mídia estatal informando que o ministro da saúde, Fahd al-Jalajel, expressou “particular satisfação com o fato de não ter havido surtos ou outras ameaças à saúde pública, apesar do número significativo de peregrinos e os desafios colocados pelas altas temperaturas”.

As autoridades também citaram “sistemas avançados de refrigeração” e a “disponibilidade consistente” de água para os peregrinos para garantir um “hajj tranquilo e seguro para todos”.

Hwaida Saad relatórios contribuídos.

Fuente