Início Política Chefe cessante da OTAN diz que a China deveria enfrentar consequências por...

Chefe cessante da OTAN diz que a China deveria enfrentar consequências por apoiar a guerra da Rússia contra a Ucrânia

12

O secretário-geral da NATO apelou a Pequim na quarta-feira, dizendo que a China “não pode ter as duas coisas” no que diz respeito à guerra na Ucrânia.

Falando em Ottawa, Jens Stoltenberg disse que a China deveria enfrentar consequências pelo seu apoio à Rússia, mas recusou-se a dizer quais deveriam ser.

O líder político da aliança militar ocidental, que abandona o cargo em Outubro, disse que há uma preocupação crescente com o aumento da cooperação entre Estados autoritários.

A visita de Stoltenberg aconteceu no mesmo dia em que o presidente russo, Vladimir Putin, e o líder norte-coreano, Kim Jong Un, assinaram um acordo que promete ajuda mútua no caso de qualquer um dos países enfrentar “agressão”.

O presidente russo, Vladimir Putin, à direita, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, conversam durante sua reunião em Pyongyang, Coreia do Norte, na terça-feira, 18 de junho de 2024.
O presidente russo, Vladimir Putin, à direita, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, conversam durante sua reunião em Pyongyang, Coreia do Norte, na terça-feira, 18 de junho de 2024. (Gavriil Grigorov, Sputnik, foto da piscina do Kremlin via AP)

Embora os detalhes do pacto não tenham ficado imediatamente claros, ambas as nações enfrentam impasses com as potências ocidentais.

Os EUA alertaram que a crescente relação entre Moscovo e Pyongyang poderia fornecer munições para a guerra da Rússia na Ucrânia.

Nos últimos dias, Stoltenberg concentrou-se nos aliados da Rússia e no apoio material que prestam ao Kremlin.

O Canadá tem estado sob forte pressão dos aliados para apresentar um plano que aumente os seus gastos militares para o valor de referência da NATO de 2% do PIB. Antes de uma reunião com o primeiro-ministro Justin Trudeau na quarta-feira, Stoltenberg disse que compreende o reflexo político de gastar em saúde e infra-estruturas, mas os aliados ainda precisam de “priorizar os investimentos na defesa”.

“Esperamos que todos os aliados cumpram a promessa de investir na defesa”, disse ele durante uma sessão de perguntas e respostas.

Num discurso na Associação da OTAN do Canadá, Stoltenberg destacou que 23 dos 32 países membros atingirão este ano a referência de 2%.

O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, à esquerda, e o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, à direita, apertam as mãos no final de uma entrevista coletiva no Departamento de Estado na terça-feira, 18 de junho de 2024, em Washington.
O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, à esquerda, e o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, à direita, apertam as mãos no final de uma entrevista coletiva no Departamento de Estado na terça-feira, 18 de junho de 2024, em Washington. (Mark Schiefelbein/Associated Press)

O Canadá está entre o terço inferior dos membros da aliança em termos de gastos com defesa; Espera-se que Ottawa gaste 1,37% do PIB em defesa este ano.

Antes da visita de Stoltenberg, o Ministro da Defesa, Bill Blair, disse que tem defendido, em privado, entre os aliados, que o Canadá se está a organizar e a avançar para os 2%.

“Acho que fomos capazes de articular para nossos aliados um caminho claro, confiável e verificável para gastos de 2 por cento. Acho que esse é o caminho responsável a seguir”, disse Blair na quarta-feira após uma reunião da bancada liberal.

Stoltenberg esteve em Ottawa para se reunir com Trudeau antes da Cimeira da NATO do próximo mês em Washington e para receber um prémio pelo seu longo serviço como secretário-geral da aliança militar ocidental.

Ele deixará o cargo no outono, após uma década no cargo. Espera-se que seu substituto seja o primeiro-ministro holandês cessante, Mark Rutte. Espera-se que os representantes dos aliados da NATO cheguem a acordo sobre o sucessor de Stoltenberg na cimeira.

Fuente