Início Melhores histórias Briefing de quarta-feira: Hunter Biden é considerado culpado de acusações de porte...

Briefing de quarta-feira: Hunter Biden é considerado culpado de acusações de porte de arma

7

Hunter Biden, filho do presidente, foi considerado culpado de três acusações criminais de mentir sobre um pedido federal de porte de arma de fogo. O veredicto é um golpe pessoal para o presidente Biden, que entra nos últimos meses de sua campanha à reeleição.

A pena máxima possível pode ser de até 25 anos de prisão e US$ 750 mil em multas. Mas as directrizes de condenação exigem uma fracção dessa pena, e os réus primários que não usaram as suas armas para cometer um crime violento normalmente não recebem pena de prisão. Nenhuma data de sentença foi definida. Aqui estão algumas informações básicas sobre as acusações.

O caso da arma de Biden é amplamente considerado como o menos sério das duas acusações federais apresentadas contra ele no ano passado. Ele ainda enfrenta graves encargos fiscais decorrentes de anos de consumo excessivo de crack, álcool e gastos.

Contexto: O julgamento tornou público o vício em crack, o comportamento imprudente e os gastos ruinosos de Biden – narrados por três ex-parceiros românticos, incluindo a viúva de seu irmão, Beau Biden.

A reação do presidente: Biden disse que ele e a primeira-dama, Jill Biden, estavam orgulhosos de ver Hunter Biden ser “tão forte e resiliente na recuperação”. O presidente disse que não concederá perdão ao filho.


Um dia depois de o Conselho de Segurança da ONU ter aprovado um plano de cessar-fogo para Gaza apoiado pelos EUA, ainda não estava claro se Israel e o Hamas o abraçariam formalmente. Veja como funcionaria.

Um responsável israelita disse que a proposta “permite a Israel atingir” os seus objectivos de guerra, incluindo a destruição das capacidades do Hamas e a libertação de todos os reféns em Gaza, mas não chegou a dizer se Israel aceitaria o acordo. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu recusou-se repetidamente a tomar uma posição firme sobre o plano.

Um alto funcionário do Hamas disse que o grupo “lidou positivamente” com a proposta. Ontem, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, disse que o destino do acordo cabia ao principal líder do Hamas em Gaza, Yahya Sinwar, que não disse se o apoia.

Resgate de reféns: Os militares israelenses disseram que quando um caminhão que transportava alguns reféns quebrou e foi cercado por militantes, Israel ordenou um ataque aéreo que matou muitos palestinos. Leia a história completa do ataque.

Rafa: Os militares israelenses disseram que quatro de seus soldados foram mortos e vários outros ficaram feridos depois que militantes explodiram um prédio onde as tropas operavam.


Milhões de pessoas na Nigéria lutam para comprar alimentos, combustível e medicamentos, enquanto o país enfrenta a pior crise económica da última geração. É uma queda acentuada: há dois anos, a Nigéria era a maior economia de África e, este ano, deverá cair para o quarto lugar.

Acredita-se que a crise esteja enraizada na remoção de alguns subsídios aos combustíveis e na desvalorização da moeda – duas mudanças estabelecidas por um presidente eleito há 15 meses. Punir a inflação significa que as taxas de pobreza deverão aumentar ainda mais.

Tenjen Lama Sherpa, um dos guias de montanha mais famosos de sua geração no Nepal, foi morto por uma avalanche no ano passado enquanto tentava ajudar um alpinista americano a estabelecer um recorde. Um irmão mais velho também morreu no ano passado, numa expedição de resgate ao Monte Everest.

O último irmão deles quer abandonar o montanhismo. Mas ele irá novamente nesta temporada, para ganhar a vida e tentar recuperar o corpo de Lama.

Os jovens ucranianos estão a tentar reconstruir a sua identidade livres da influência russa. Muitas vezes, isso significa reexaminar a história da Rússia na Ucrânia e destacar a sua marca colonial.

Mariam Naiem, pesquisadora e podcaster, emergiu como uma voz de liderança nesses esforços. Chamar a Rússia de império colonial desafia décadas de estudos, mas Naiem e outros apontam para os longos esforços da Rússia para impor a sua língua à Ucrânia, ocupar o seu território e reescrever a sua história.

Ela disse que foi necessária a guerra para que os ucranianos começassem a “descolonizar-se”, apontando para aqueles que deixaram de falar russo para ucraniano. “Este é exatamente um ato descolonial”, disse ela.

Fuente